Blog

O giro de estoque em instituições de saúde

Em um negócio, controlar a quantidade de tempo levado em diferentes tarefas é fundamental. Como por exemplo: o tempo de referência para a aquisição de novos clientes, para a conclusão de projetos, para a cobrança de faturas etc. Todas essas métricas devem ser monitoradas para que uma melhor experiência ao cliente seja proporcionada ou para o próprio bem-estar financeiro da empresa. No entanto, para algumas companhias – entre elas os hospitais e clínicas -, há uma métrica especialmente importante e que acaba muitas vezes por ser ignorada: o giro de estoque.

O giro de estoque se refere a um indicador que mostra o número de vezes que uma empresa vendeu e repôs seu estoque durante um determinado período de tempo. Em outras palavras, mede-se através dele a velocidade em que certos produtos são vendidos (ou utilizados) e necessitam ser repostos dentro desse período.

Dessa forma, uma média é criada e é então possível manter-se longe de situações críticas, tais como as de falta ou de acúmulo de produtos, por meio de uma gestão eficaz.

Neste artigo veremos em detalhes algumas dicas importantes sobre giro de estoque nas instituições de saúde.

O que o giro de estoque diz sobre a sua empresa?

Primeiramente, o giro de estoque mostra com que rapidez uma empresa vende ou utiliza itens do inventário. Isso é importante não só para manter o controle sobre a quantidade e tomar as melhores decisões durante a gestão, mas também para que comparações sejam realizadas dentro do seu setor de atuação. Assim, se sua instituição apresentar índices fora do comum, é mais fácil tomar conhecimento disso e aplicar as medidas necessárias.

Volume baixo de giros de estoque

Um volume baixo indica que o volume está sendo pouco usado, o que pode levar a um excesso de estoque, produtos ultrapassados ou vencidos. Isso acarreta em possíveis perdas financeiras, comprometendo a eficiência operacional da instituição.

Volume alto de giros de estoque

O alto giro de estoque pode representar um ponto positivo. Porém, é necessário encontrar um meio termo para que o inventário não seja insuficiente. Trabalhar próximo ao limite de um determinado material pode comprometer o abastecimento da sua instituição, principalmente em ocasiões de urgência.

Dependendo do tipo de material armazenado no seu estoque, é possível que altos custos sejam gerados. Os gastos principais são com manutenção e armazenamento, além de reduzir o capital de giro da sua empresa. O monitoramento do giro de estoque lhe trará informações para que sua empresa se prepare para momentos de alta demanda.

O controle de giro de estoque dentro da gestão hospitalar

No caso de empresas pertencentes ao ramo da saúde especificamente,
manter um bom gerenciamento sobre o estoque está diretamente relacionado à saúde das pessoas atendidas. É importante considerar que muitos itens são indispensáveis para manter o bem-estar do paciente ou mesmo a sua vida. Além disso, um controle satisfatório de custos dentro da gestão hospitalar está diretamente relacionado ao controle de estoque.

Assim, é necessário atender à demanda da instituição e dos pacientes, sem acumular produtos e equipamentos em estoque. Desse modo, é possível evitar um impacto negativo no orçamento hospitalar. Urgências, contudo, acontecem e os hospitais devem estar sempre preparados.

Muitos dos produtos possuem datas de vencimentos cuja necessidade de controle é muito maior. Nesses casos, é completamente natural se ter um alto giro de estoque, já que os produtos precisam ser repostos com frequência para que a validade seja respeitada.

O gerenciamento manual e a automação

Em muitas situações, gerenciar o estoque de um hospital pode se tornar muito complicado quando ainda se faz uso do método manual – o das planilhas. Afinal, as informações e detalhes envolvidos são muitos, o que torna o controle falho e facilmente suscetível ao erro.

Por isso, uma boa alternativa é automatizar o processo de giro de estoque, fazendo o uso de softwares. Desse modo, sua equipe consegue ter uma visão mais ampla do seu negócio. Possibilitando realizar também um controle de estoque mais seguro e que se adeque às suas necessidades!

Softwares trazem previsibilidade para as ações realizadas e possibilita o planejamento a curto, médio e longo prazo. Além de rastrear o inventário com precisão. Mantendo também o controle sobre informações cruciais, tais como os níveis de suprimentos e datas de vencimento. Isso significa que, ao gerir o hospital, sempre se saberá quais suprimentos estão disponíveis, qual medicação está prestes a expirar, entre outras informações.

Podemos concluir então que é fundamental conhecer bem o inventário da sua instituição. Assim como manter um planejamento de giro de estoque consistente. Fazer esse monitoramento com frequência garantirá a eficiência da sua empresa!