Blog

Como aprimorar a gestão interna de um hospital público?

Diversas pesquisas apontam que a superlotação é um dos problemas mais urgentes apresentados pelas instituições públicas de saúde. Contudo, junto a isso, existem uma longa lista de desafios que também precisam ser enfrentados, como o planejamento insatisfatório, o uso inapropriado de recursos, assim como a falta de serviços, entre outros. Para que tais circunstâncias sejam superadas, o primeiro passo é contar com uma gestão hospitalar eficiente.

Neste artigo, mostraremos a você algumas ações, bastante eficientes, que podem ajudar a amenizar problemas, ao mesmo tempo em que promovem reformulações essenciais na gestão hospitalar! Confira:

As parcerias público-privadas (PPPs)

As parcerias público-privadas (PPPs) são acordos muito vantajosos para a gestão do hospital público, pois compreendem a cooperação entre entidades governamentais e empresas de iniciativa privada. Esse é um método relevante porque o envolvimento privado acaba trazendo agilidade e qualidade para os processos, uma vez que, normalmente, ficam isentos da burocracia característica do setor público. Como a realização obrigatória de licitações a cada aquisição, ou a contratação de funcionários por meio de concurso público.

Essa iniciativa é ainda mais importante ao levarmos em consideração a demanda cada vez maior do serviço público de saúde. Tornando, assim, ainda mais clara a necessidade por diferentes formas de pensar a gestão hospitalar.

É importante destacar, no entanto, a precisão de se promover a adequação do processo de implementação das parcerias público-privadas. Essa é uma etapa complexa, que exige um acompanhamento dedicado por parte de equipes especializadas. Além disso, é fundamental ter uma gestão eficiente, bem como mecanismos fiscalizadores, capazes de assegurarem o respeito à contratualização envolvida.

Portanto, ainda que seja um método positivo para melhorar a gestão hospitalar, é preciso também ficar atento para que seja bem implementado e gerem os benefícios esperados!

Contratação de prestadores de serviços terceirizados

Outra estratégia interessante para otimizar a gestão hospitalar no setor público é fazer uso dos serviços prestados pelas terceirizadas.

Ao ingressarem no setor público, essas empresas têm a obrigação de se manterem comprometidas e íntegras no cumprimento de suas atividades. Então, além da segurança, o hospital também garante uma grande economia, decorrente do fato de oferecerem equipes especializadas. e que contribuem para que haja menos desperdício e aumento da eficiência das operações.

É importante ressaltar também que, assim como as parcerias feitas com as empresas privadas, o serviço terceirizado não está sujeito à burocracia do setor público. Isso torna mais rápida a reposição de funcionários sempre que necessário.

Processos automatizados para uma melhor gestão hospitalar

Ainda que a tecnologia não seja devidamente explorada em grande parte das instituições públicas, é inegável a importância desse recurso para a agilização, otimização e padronização de processos.

A tecnologia é uma verdadeira aliada não só na gestão hospitalar, mas também apresenta resultados promissores no atendimento ao paciente, bem como na organização geral de exames e consultas.

As consultas podem ser agendadas automaticamente e a confirmação de presença pode ser feita de maneira muito mais fácil. Médicos também podem ser beneficiados – enquanto beneficiam seus pacientes – ao terem acesso a bancos de dados que coletam informações importantes de pacientes e que são essenciais para um atendimento e diagnóstico de qualidade.

Outro exemplo são os sistemas que prestam auxílio quanto à rotação de leitos da UTI. Não podemos esquecer também das plataformas de controle de inventário, as quais permitem monitorar suprimentos, evitar desperdícios, ou compras em excesso! Sem falar do recurso que torna o processo de compra mais econômico, dando acesso à uma ampla gama de fornecedores dentro dessa solução.

O uso da tecnologia compreende uma estratégia fundamental para aprimorar a gestão interna de hospitais públicos, ao mesmo tempo em que traz a possibilidade de redução de custos.

Equipes capacitadas

A base de uma instituição de saúde que busca eficiência e qualidade são as equipes de funcionários que conduzem os mais diferentes tipos de atividades, nos mais diferentes setores do complexo ambiente hospitalar.

Assim, para que esses variados processos sejam executados adequadamente, é vital que toda a equipe receba um treinamento apropriado, o qual compreenda todas as etapas de atendimento médico e administrativo. Para garantir que todos os setores trabalhem de modo a garantir uma rotina eficiente. Acompanhada de um maior aproveitamento dos recursos que movem o hospital – econômicos, humanos e técnicos.

No entanto, para uma gestão hospitalar interna consistente, é imprescindível que o treinamento seja feito sempre que houver a necessidade. Principalmente devido a renovações tecnológicas que podem ser implantadas, ou por causa do surgimento ou atualização de boas práticas no setor. Caso contrário, as melhorias não serão duradouras, e a gestão hospitalar voltará a passar por dificuldades.

Indicadores de desempenho

Por fim, promover mudanças é importante para melhorar a gestão hospitalar, mas, tão importante quanto, é fazer uso de indicadores de desempenho que evidenciem os resultados que foram obtidos com essas mudanças. Assim como o que ainda é possível melhorar – antes que a instituição seja afetada negativamente.

Com esses indicadores, pode-se avaliar a qualidade do atendimento prestado aos pacientes. Assim como determinar metas que já foram alcançadas, juntamente daquelas que ainda precisam de algum esforço para serem atingidas. As organizações também podem identificar pontos falhos, oportunidades de crescimento, estratégias que funcionam, bem como aquelas que precisam ser aprimoradas.

Analisar procedimentos constantemente se tornou uma base importante para empresas que tomam decisões inteligentes!