Blog

Curva ABC: estoque inteligente através de estatísticas

Para que o estoque de instituições de saúde seja bem gerenciado, é fundamental eleger um método eficaz de controle de inventário. A curva ABC é uma excelente ferramenta nesse ponto, pois é particularmente útil ao determinar quais itens presentes no estoque são mais importantes do que outros. Dessa forma, é possível realizar o controle baseado em uma estrutura de inventário pertinente dentro do cenário de cada empresa.

Essa segmentação é importante porque nem todos os itens do seu inventário têm o mesmo grau de importância. Por isso, através da curva ABC, é possível determinar o valor real de cada produto; ou seja, definir seu impacto sobre as operações da empresa. Dessa forma, as estratégias de compra e de controle podem ser planejadas de modo a facilitar e assegurar a rotina de operações dependentes desses itens – o que, por sua vez, também é decisivo para garantir a satisfação do cliente.

Como são classificados os itens segundo a curva ABC?

A divisão feita pela curva ABC se dá por meio de três categorias, as quais conheceremos a seguir:

A categoria A representa os produtos mais valiosos, sendo estes os que mais contribuem para a geração de lucro para a sua empresa. Em outras palavras, eles são muito utilizados e por isso demandam maior atenção e controle por parte do gestor. Esse grupo não é formado por uma quantidade grande de produtos.

A categoria B representa produtos intermediários, ou seja, são bens de consumo médios, que não exigem tanta atenção quanto os itens da primeira segmentação. No entanto, é interessante notar que, muitas vezes, esse grupo é formado por suprimentos de potencial que, com algum incentivo, podem ser movidos para a categoria A.

Por fim, a categoria C recebe produtos de maior variedade e de baixa movimentação e, por essa razão, apresentam uma necessidade de atenção menor. Isso não quer dizer, no entanto, que não são importantes dentro da gestão. A partir do momento que esses produtos são definidos na categoria C, fica mais fácil evitar desperdícios em investimento!

Como usar a curva ABC de maneira inteligente?

Após ter concluído os cálculos e realizado a segmentação da curva ABC, você pode usar esses dados para reavaliar a maneira como sua empresa gerencia o inventário, de modo a verificar se os itens pertencentes a cada um dos grupos recebem ou não a atenção e o controle adequados.

Assim, caso você esteja tratando cada um desses produtos da mesma forma, independentemente da categoria, irá notar que a companhia está trabalhando sob diretrizes ineficientes e, muito provavelmente, mais custosas do que o necessário. Em outras palavras, as chances de se estar realizando pedidos em excesso, ou em quantidades menores que não atendem à demanda, são bastante altas.

A curva ABC abre, portanto, um amplo espaço para melhorias, no qual você poderá adaptar o sistema de compras a cada grupo a partir da análise feita. Um exemplo é a implementação de processos mais eficientes para a aquisição dos itens A, ao verificar os pedidos regularmente, ou dedicar mais tempo para assegurar os prazos de entrega junto aos fornecedores.

Vejamos alguns dos benefícios decorrentes dessa abordagem:

– O melhor controle sobre o inventário de alto consumo garante a disponibilidade desses itens sempre que necessário, reduzindo as perdas pela falta de material;
– A segmentação de grupos da curva ABC de acordo com sua movimentação também possibilita que a organização controle sua aquisição de modo a não acumular materiais passíveis de se tornarem ultrapassados e, portanto, inutilizáveis;
– Eficiência nos processos e na entrega de serviços aos pacientes, garantindo, assim, sua satisfação e bem-estar.

No entanto, ao adotar a curva ABC é preciso entender que ela leva em consideração apenas um dos aspectos que podem ser considerados dentro do gerenciamento de estoque. Então, embora a demanda seja um fator de extrema importância, sua instituição não deve ignorar outros aspectos não abordados pelo método em questão. A falta de variedade encara com simplicidade uma rotina na verdade bastante complexa. Especialmente em hospitais, onde se lida diretamente com a saúde do cliente.

Por isso, a fim de tornar a análise mais sofisticada, nós recomendamos que confira nosso post sobre outras curvas de análise de estoque, as quais consideram outros pontos em sua classificação.

Além disso, existem soluções automatizadas que tornam a rotina muito mais prática e segura ao poupar o tempo dedicado à realização destes cálculos manualmente. Você pode entender como acessando este link!