Blog

4 métodos para aprimorar sua cadeia de suprimentos!

Os gastos referentes à cadeia de suprimentos são considerados uma das maiores despesas dentro de hospitais de diferentes portes. Por isso, a implementação de melhorias que aprimorem seu fluxo, gerando também mais produtividade, enquanto reduz custos, é uma das principais prioridades.

A cadeia de suprimentos dentro das instituições de saúde

A cadeia de suprimentos é uma rede formada entre uma empresa e seus fornecedores; criada para fazer com que um produto ou serviço específico chegue até o comprador final. Ou seja, trata-se de uma rede composta de diversas etapas, as quais têm início com o provedor de matéria prima, seguindo para sua fabricação, fornecimento, transporte, armazenamento etc., até que chegue ao cliente.

A partir disso, percebemos que a cadeia de suprimentos de um hospital é bastante diversa da cadeia de muitos outros tipos de empresas, já que, em grande parte, os produtos armazenados não chegam aos pacientes diretamente. Diferentemente, esses itens afetam os serviços prestados a esse público final.

Dois fatores reforçam a carência por mudanças positivas na gestão da cadeia de suprimentos nessas instituições: as expectativas cada vez mais altas de pacientes – como consumidores – e a necessidade por se manter as operações sempre bem controladas e regulamentadas. Uma simples situação basta para entendermos o porquê: um hospital não pode se dar ao luxo de lidar com a falta de medicamentos, por exemplo.

Assim, a cadeia de suprimentos têm um importante papel estratégico, representando também um grande peso monetário para as organizações de saúde (se a falta de produtos é um problema, o excesso dele também o é).

Tendo isso em mente, os 4 métodos que discutiremos a seguir são mais do que fundamentais para aprimorar esse processo dentro do seu hospital!

1. Selecionar bem os fornecedores

A seleção de fornecedores é um dos componentes mais importantes para o gerenciamento da cadeia de suprimentos. Afinal, são os diferentes itens fornecidos por eles que permitem o fluxo constante – ou não – de muitas das operações dentro de um hospital. Inclusive no que diz respeito à prestação de serviço ao clientes.

Assim, no processo de seleção de fornecedores, é imprescindível eleger empresas que forneçam os produtos certos, de qualidade, pelo preço justo, no momento combinado e na quantidade prevista. Além disso, elas devem ter suas atividades devidamente regulamentadas, contando também com um atendimento ao cliente de qualidade, capaz de prestar auxílio rápido na ocorrência de eventuais imprevistos.

Para saber mais detalhes sobre como identificar todas essas características, recomendamos que confira outro de nossos artigos sobre como selecionar os melhores fornecedores!

2. Desenvolver uma gestão de estoque eficaz

A partir do momento que os produtos são entregues no seu hospital, a cadeia de suprimentos será sua responsabilidade. Em outras palavras, a fim de manter o fluxo de trabalho da sua organização, você precisa administrar bem todos esses itens.

É fácil perdê-los de vista quando não são devidamente catalogados e controlados. Como resultado, não se percebe quando um produto está em falta, se foi retirado sem autorização, ou se há uma quantidade além da necessária – o que pode levá-los a expirar antes de precisarem sair do inventário. Em qualquer das situações, as margens de lucro diminuem, as operações são prejudicadas e a satisfação do paciente é afetada.

Assim sendo, é importantíssimo gerenciar o estoque de forma eficaz. Para isso, muitas empresas adotam uma gestão automática, a fim de conseguir alcançar precisão nesse controle, já que o trabalho manual toma tempo e dificilmente oferece a eficiência desejada.

Com softwares de gestão de inventário o seu hospital será capaz de rastrear e monitorar os níveis dos diferentes suprimentos, tendo acesso a informações essenciais como data de validade, relevância dentro dos processos da organização, entre outros.

3. Fazer uso da previsão de demanda

Muitos hospitais enfrentam problemas por causa de pedidos realizados erroneamente. Quando os produtos errados são solicitados, em tipo ou quantidade, a receita é perdida. Consequentemente, as instalações podem ficar sem os itens de que precisam para fornecer os serviços. Ademais, falhas durante a encomenda também podem levar a erros de medicação – o que têm efeitos danosos à saúde de pacientes.

Assim, a melhor solução para manter o fluxo da cadeia de suprimentos, com precisão, é através do uso da previsão de demanda. Prever a demanda significa examinar a quantidade de produtos que os pacientes e a organização utilizaram durante um período de tempo específico, aplicando esses dados para fazer previsões futuras.

Com essas informações, a sua instituição poderá ter sempre o volume certo em estoque. O suficiente para atender às diferentes demandas, sem desperdiçar tempo, dinheiro e esforço no gerenciamento de estoques excessivos ou obsoletos.

Agora você pode estar se perguntando como coletará os dados necessários para realizar a previsão de demanda da sua cadeia de suprimentos. A resposta está no investimento em tecnologia e automação. O software de gestão de estoque, o qual já vimos, provê sua empresa com dados importantes que tornarão mais fácil analisar demandas anteriores e tomar decisões de maneira mais consistente e assertiva a respeito de demandas futuras!

4. Integrar toda a equipe envolvida na cadeia de suprimentos

É inevitável que ocorreram defasagens entre as operações quando não há comunicação eficiente entre os departamentos envolvidos na cadeia de suprimentos. Por isso, é fundamental aprimorar o planejamento estratégico ao mesmo tempo em que se integra todas as equipes envolvidas por meio dos sistemas utilizados por cada uma delas! Com isso, os dados serão compartilhados com facilidade, já que se fará uso de uma interface única.

Assim, ao manter o trabalho de todos alinhado, você pode realizar a gestão de inventário de modo a beneficiar todas as etapas e equipes envolvidas, reduzir custos, além de melhorar a produtividade de todos os colaboradores!